terça-feira, 23 de março de 2010

Arte no Parque Lage

Comecei a fazer um curso na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Fazia tempo que não mexia em tintas e pincéis e senti que meu lado artístico estava ficando meio enferrujado. Escolhi o curso por causa do horário (segunda-feira à tarde), um dos poucos  disponíveis para mim. Dei uma rápida olhada no programa e decidi me matricular em um curso cujo título me pareceu simpático:  "Em torno da pintura".

Pronto: lá fui eu para a primeira aula, armada com minha velha caixa  de pintura, manchada de tintas de muitas cores passadas, cheia de pincéis endurecidos e paninhos esfarrapados.

Surpresa! O meu curso de "pintura"... não tem absolutamente nada a ver com tubos de tinta nem pincéis! Na verdade, a proposta de "Em torno da pintura" é estimular cada aluno a explorar sua própria criatividade através de técnicas de - ai, meu Deus! - ... gravura.

E agora? Como é que eu poderia imaginar? Justamente gravura, talvez a única linguagem artística que nunca consegui apreciar direito! Xilografia, serigrafia, monotipia, relevo seco... tudo isso sempre me pareceu tão distante dos meus interesses, tão estrangeiro à minha sensibilidade...


Bem, se o acaso de conduziu até lá deve ter sido por um bom motivo. Então vamos lá!
Mãos à obra!


Ontem tive a terceira aula e - nova surpresa! - estou adorando, apesar da inevitável sujeira das tintas de impressão. Saí de lá com as unhas pretas e a cabeça pontilhada de idéias coloridas.

Um comentário:

Angela Cotrim disse...

Que linda "happenstance"! Acho que o processo da gravura é tão você!