segunda-feira, 21 de junho de 2010

Maradona, a alegria da Copa

Não há como negar: depois das primeiras duas rodadas, a grande estrela desta Copa se chama Diego Maradona. Quase irreconhecível em seu terno cinza e gravata, muitos quilos mais magro e cheio de energia vital, o técnico da equipe argentina parece ter ressurgido do quinto dos infernos. Aquele baixinho abusado stá diabolicamente alerta, correndo para cima e para baixo junto à linha do campo onde os jogadores argentinos dão seu show de bola habitual. Nem de longe lembra a trágica figura de alguns anos atrás - aquele homem precoce e tristemente derrotado pelos excessos da fama, da cocaína e do álcool.

Maradona é o técnico que qualquer torcida gostaria de ver no comando do seu time: autoconfiante, engraçado, destemido e, além de tudo - pelo que se viu até o momento nesta Copa - competente. Ele trouxe de volta a alegria aos bancos da comissão técnica e nos faz rir a todos nós, torcedores de diversas nacionalidades.

Por tudo isso resolvi alugar na videolocadora um documentário sobre a vida deste atleta a quem os argentinos atribuem a glória de ter marcado o "gol do século" - aquele contra a Inglaterra na Copa de 1986, que contou com a ajudinha da "mão de Deus". Trata-se de um filme produzido em 2008 pela França e Espanha, sob a direção do sérvio Emir Kusturica, o mesmo que ganhou o Palma de Ouro de Cannes pelo excelente "Quando Papai Saiu em Viagem de Negócios" nos anos 80.

O documentário se chama "Maradona" e desde logo quero avisar que está longe de ser excelente como os outros filmes dirigidos por Kusturica. Aqui o diretor consegue ter um ego ainda maior que o do Maradona e não sai da frente da câmera. O filme é cheio de exageros e hipérboles desnecessárias, apelando para a dramaticidade rasteira dos argentinos. Além disso, a postura política do Maradona  mostra-se panfletária e quase infantil, com amplos espaços cedidos a Fidel Castro e alguns insuportáveis discursos de palanque de Hugo Chávez e Evo Morales. Mas, dadas as circunstâncias, é um filme que merece ser visto nestes dias em que o mundo inteiro está ligado nas emoções do futebol.

É particularmente emocionante ver o lado familiar de Maradona através das imagens de vídeos caseiros, como as cenas em que ele dança apaixonado com sua namorada (e futura esposa) Claudia e aquelas em que brinca com as duas filhas ainda pequenas, Dalma e Giannina. Algumas entrevistas em que ele fala abertamente da sua dor por ter perdido momentos preciosos da convivência familiar, devido à dependência das drogas, são de cortar o coração. "Yo estaba muerto", confessa Maradona, que há seis anos acabou se divorciando de Claudia, mas parece ter se reconciliado com as filhas, agora adultas.

Maradona não é nem de longe uma figura exemplar, nem faz questão de parecer ser. Mas sua vida é indiscutivelmente fascinante, repleta de altos e baixos tão surpreendentes quanto os lances mirabolantes que faz com a bola.

Fora do campo, é uma história que nos faz refletir sobre as escolhas que fazemos ao longo das nossas vidas.

Para mim, Maradona é o grande destaque da Copa até o momento.

6 comentários:

Anônimo disse...

Não tem como negar: Maradona transborda emoções. É um barato! Valeu Monica. Lia Lewel

Ana Cristina Nadruz disse...

Principalmente uma história de superação. Eu , particularmente, DEPOIS DO BRASIL, é ó-b-v-i-o, torço sinceramente pela Argentina. Se não formos nós, que sejam los Hermanos. Adoro os argentinos e a Argentina,de mi Buenos Aires querido, de alfajores, de dulces de leche, da minha amiga-irmã porteña Adriana, e da Patagônia, lugar que vai ficar pra sempre no meu coração.

Isabel disse...

Eu ainda nao consegui nem ver los hermanos jogar, nem o Maradona brilhar... A copa para mim ate agora e' Luis Fabiano. A unica coisa que eu sabia do Maradona e' que ele prometeu correr pelado pelas ruas de Buenos Aires se a Argentina ganhar a copa. E esse tipo de atitude nao me emocionou nem um pouco... foi so agora depois de ler teu blog que veio um carinho grande por ele e los hermanos.

Monipin disse...

Pois é, eu também a-do-ro nuestros hermanos argentinos, com seus tangos, alfajores e vinhos maravilhosos! Y además... que guapos são aqueles jogadores! Tomara que o time deles continue avançando bastante nesta Copa, para que se tenha um pouco mais de beleza nas imagens transmitidas pela TV!

Florence Ferreira disse...

Pra mim, Maradona é a estrela porque é a primeira copa que seu time joga limpo!!! Mas jogadores argentinos "guapos" nesta Copa??? Vocé e eu nao vamos a brigar por os homens! :)
Forgive my portuguese...

Monipin disse...

Florence, em primeiro lugar seu Português é excelente! Em segundo lugar, gosto não se discute e concordo inteiramente com você: não vai ser por causa da "beleza" dos argentinos que nós vamos nos desentender!!! ;-)