terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Sessenta anos, menos um dia

Hoje é um dia muito especial para mim. Falta um dia para eu completar sessenta anos. Querendo ou não, amanhã vou ingressar na turma da terceira idade.

Já sei o que meus amigos vão me dizer: que entro em grande estilo naquela fase maravilhosa da vida em que a gente passa a pagar meia entrada no cinema. Os mais amáveis insistem em me dizer que nem pareço a idade que tenho. Já ouvi três vezes a expressão "sexygenária", esse termo surreal, ao mesmo tempo delicado e grosseiro. Agradeço penhorada, apesar de tudo. Amigos são mesmo para estes momentos em que precisamos elevar a autoestima, ainda bem que os tenho.

Amigos queridos, vamos combinar:  sessenta anos é um marco poderoso. Nenhum elogio bem intencionado será capaz de amenizar este fato, sólido e concreto como um bloco de tijolo.

Será que alguém aí poderia me explicar como foi que isso me aconteceu, assim de repente? Para onde foram esses anos todos, enquanto eu tecia, ocupada e distraída, mil planos para o dia seguinte, para dali a alguns anos, para depois que os filhos crescessem, para depois que eu saísse de férias?

Acreditem: eu mal comecei a decifrar os mistérios da vida. Ainda não li nem metade dos livros que pretendia, não visitei todos os lugares que queria, não escrevi meu livro, não plantei árvores suficientes para salvar nosso planeta. Quanto mais o tempo passa, mais percebo que aprendi pouco demais.

Amanhã vou fazer sessenta anos e não tenho tempo a perder.

Já resolvi. Amanhã vou vestir uma roupa colorida, calçar um par de sandálias confortáveis e comemorar o grande dia dançando com amigos, até não me aguentar mais de pé!

8 comentários:

Carla disse...

Moça, sei que serei repetitiva, mas faço coro com os que afirmam que voce tem a vivacidade e a alegria de uma jovenzinha descobrindo as delícias da vida.
Dava gosto ouvir a alegria com que voce descreveu sua próxima viagem/aventura com o maridão enquanto conversavamos na piscina findi passado, assim como dá gosto ler seu blog.
Este seu dom de ver a vida através de prismas de cores tão vivas é privilégio de poucos, e certamente fator contributivo para que aqueles que a conhecem afirmem que voce é imune ao tempo.
Bjkas adiantadas pelo importante dia de amanhã!

Monipin disse...

Obrigada por suas palavras, amiga! Quando você fizer 30 anos eu quero ser convidada para dançar na sua festa! Rsrsrs.
Beijos felizes,
Monica

Ana Cristina Nadruz disse...

Wellcome to the sixties!!! Dói não, visse??? beijoooo!!!!!

Teresa disse...

Querida, acho que terei que fazer coro também.
Eu estou quase lá e sei exatamente do que você está falando...
Mas sabe de uma coisa? O que é bom mesmo é poder olhar para trás e perceber que temos uma história e estórias para contar. E isto amiga, tenho certeza de que você tem de sobra e melhor ainda, muitas ainda por vir!
Estamos aguardando ansiosamente pelo teu livro!
Comemore mesmo e se acabe de dançar pois este dia, é teu!
Beijos,
Teresa

Marcia disse...

Querida Monica,
Ja vim trabalhar com um vestido colorido e sandalias confortáveis. Vou direto daqui para o Carioca da Gema. Sou totalmente solidária aos seus sentimentos. Ja estou nessa nova fase há alguns anos (?). Dos seus comentários, me tocou a observacão sobre os livros que ainda nao leu. No meu caso, eu também lamento mas, pior ainda, perco tempo lendo de novo o que ja li anteriormente. Algumas vezes, nao é porque o livro vale a pena ler de novo, ... é porque esqueci que já o li! :-)

Ana Beatriz disse...

Em julho, comemorei 50 anos. Incrível como estas datas redondas e emblemáticas acabam mexendo com a gente. Mas passados alguns meses, percebo que continuo feliz da vida, cheia de energia, mesmo que, vez em quando, me apareçam umas dorezinhas...
Eu me assustei quando li que vc já estava prestes a fazer 60. Não temos nos visto ultimamanete mas sei que está em forma e bem jovem.
Desejo que o dia de hoje seja especial e que, nos próximos, você continue feliz da vida.
Bjs,

Sandra Felicidade disse...

Monica, parabéns pela jornada!... Esse "livro" já tem muitos capítulos vividos e muitos que ainda virão! O livro já exite, só falta se materializar. Quando você tiver um tempinho para ver o 1º vídeo da Sara, verá que foi lá pelos 60 e uns que ela começou "a decifrar os mistérios da vida"... e já, de cara, com o Krishnamurti, em pessoa! Começou bem ela, hein?
Beijos e Felicidades!! Espero que você esteja dançando bastante...
Sandra Felicidade

anamar disse...

Conhecemo-nos aos 59....
Que diferença para os 60???
Bom faze-los...e reparti-los com os amigos...
Há quem não tenha tido essa felicidade....
Beijoca amiga