sábado, 11 de dezembro de 2010

A fartura de Marina

Hoje cedo, quando ajeitava as coisas na minha sala, peguei distraída o livro Passageira em Trânsito da Marina Colasanti e o abri numa página qualquer. Tive vontade de rezar quando meus olhos caíram no pequeno poema Fartura - curto, simples, belo:


Agradeço, Senhor,
as três orquídeas roxas
no jardim
e as mãos do meu amor
nas minhas coxas.



Lembrei-me das flores do meu jardim que estão me esperando para serem regadas. Olhei para minhas coxas saudáveis, neste corpo que dentro de poucas semanas irá fazer sessenta anos. Pensei nas mãos experientes e queridas do meu amor.

Fartura é isso. 

Obrigada, Marina.

3 comentários:

anamar disse...

Monipin,
enquanto rega as suas flores, eu passeio-me e fotografo as flores da sua cidade...
Também estou para os sessenta da minha querida Cris... e como vale a pena faze-los...
Quem sabe um destes dias, um "shope"...
Estou pelo Leblon..
Beijinho Ana

Monipin disse...

OK, Ana. A Travessa do Shopping Leblon me parece um otimo lugar. Podemos marcar um encontro as 19h de domingo, ali perto da entrada - que tal?

Betty disse...

Que bom te encontra de novo no blog e ler esse peoma onde você diz tudominha amiga. Estou com muitas saudades. De 27 a 31 estarei de recesso. Se ficar no Rio,nos vemos?
Ontem tive outro milagre em minha vida e leveu flores brancas, lindas para Nossa Senhora e vendo teu poema sobre flores, não podia deixar de lembra-las. beijo com todo meu carinho e amizade