segunda-feira, 20 de junho de 2016

O menino e o Homem Aranha

- Você existe de verdade? - pergunta Gabriel, quando o Homem Aranha se abaixa para abraçá-lo na cadeira de rodas, no quarto da Pediatria do Hospital Federal da Lagoa, onde ele está internado há várias semanas. Gabriel faz hoje 10 anos de idade. 

- É claro que eu existo! Só não posso revelar minha verdadeira identidade! - responde o Homem Aranha, tentando disfarçar a voz embargada.

O quarto está todo enfeitado de balões coloridos. A pequena mesa encostada à parede, que normalmente contém remédios e bandejas de plástico, hoje tem um bolo de aniversário e brigadeiros, trazidos pela equipe de médicos, enfermeiros e funcionários do hospital. Eles estão todos reunidos ali no quarto, muitos com chapeuzinho de papel na cabeça, assistindo sorridentes ao encontro do menino com o super-herói.

Desde que adoeceu, nas férias do verão passado, Gabriel não pôde mais frequentar as aulas na escola. Nos últimos meses, o Hospital tem sido o seu lar. As pessoas que lá trabalham têm sido seus amigos mais próximos, quase parte da sua família.

Nessas últimas semanas, estive algumas vezes com o Gabriel, contando histórias para lhe dar um pouco de alegria e tentar lhe restituir alguma sensação de normalidade, neste cotidiano nada normal de uma criança. Ele é um menino esperto, curioso e antenado, talvez até acima da média. Mas está sem aulas, sem o convívio com meninos de sua idade, sem desafios intelectuais. 

Hoje, esta singela demonstração de solidariedade da equipe do Hospital da Lagoa mexeu muito comigo. Num país quebrado como o nosso, onde a má gestão, a irresponsabilidade e a falta de ética dos nossos governantes achincalharam o atendimento na área da Saúde aos brasileiros mais indefesos e carentes, a atitude amorosa daqueles profissionais me trouxe um pouco de esperança no futuro de um Brasil melhor.

Parabéns pelo seu trabalho dedicado, equipe da Pediatria do Hospital da Lagoa! Hoje senti vontade de lhes fazer a mesma pergunta que o Gabriel fez ao Homem Aranha: será que vocês existem de verdade?

7 comentários:

Cristina Leão disse...

Adorei Monica!!! Que sorte a sua poder presenciar esse momento!!!
Temos muita gente legal no nosso entorno, felizmente. Precisamos prestar mais atenção nas qualidades das pessoas... nenhum de nós é uma coisa só. Quando elogiamos o que gostamos de ver, trazemos pra nossa realidade a importância e o desejo de sermos parte dessas histórias.

Unknown disse...

Que prazer ler esta mensagem de esperança quando são raras as boas notícias e em que tudo parece conspirar contra nós ! Valeu, lindo texto.

angela paranhos disse...

Mônica, que alento. Eu tb quero acreditar no Homem Aranha. Eu preciso! Cada um desses profissionais é um Homem Aranha. Traz um sentimento de que ainda há esperança no Homem. Agradeça a Deus essa dádiva. Você merece.

BLOG DA PATRÍCIA disse...

Ganhei o meu dia, obrigada Monica!

Ana Beatriz disse...

Os super-heróis estão escondidinhos por aí, e às vezes se revelam para os que são sensíveis à beleza e à solidariedade. Ontem, o homem-aranha escolheu você como divulgadora dos sentimentos que andam tão escassos. Que bom!

Sérgio Cotrim disse...

Ficção e bondade criam alegria e esperança no menino. Momentos magicos
são percebidos por quem tem sensibilidade. Obrigado por compartilhaR a emoção.

Dayla Duarte disse...

Olá Mônica!

Vou usar o espaço de comentários do seu blog para conseguir te contactar! Sou a Dayla, da Flip (Fila de autógrafos da Svetlana Alexievich). Meu perfil no facebook é https://www.facebook.com/marandubinha/?fref=ts e meu e-mail é o daylagd@gmail.com
De agora em diante passo a ter seu blog na minha lista!

Bom encontrar vocês!

Saudações,
Dayla Duarte.