terça-feira, 11 de maio de 2010

Olha o jegue! (Saudades das férias com minha filha)

Passou rápido demais. Uma semana mal dá para matar as saudades da minha filha, que vive no frio e distante Canadá e só consigo ver de seis em seis meses - quando muito. Mas como foi bom caminhar com ela pelas praias quase desertas do litoral pernambucano, dar risadas a troco de nada, jogar conversa fora mergulhados até o pescoço na água morna do mar nordestino, só com a cabeça de fora, sem pressa nem vontade de sair mais dali...

Cada momento é saboreado devagar. O ritmo de vida do povo  nos ajuda muito: para que tanta pressa na vida? Tento registrar cada paisagem, cada risada. A qualquer pessoa que passe pela minha frente peço que tire uma foto nossa, por favor rapidinho, é só apertar esse botão aqui, nem precisa caprichar demais. Se o fotógrafo é alguém da terra, a gente já sabe que, na hora de bater a foto, ele vai nos pedir um sorriso com o delicioso sotaque pernambucano:

Olha o jegue!

(Clic! Mais um momento feliz registrado na maquininha digital.)

Olho para minha filha e não consigo deixar de pensar, com espanto e admiração: é uma mulher feita. Cadê aquela menininha tinhosa, malcriada e divertida, que eu acreditava que jamais sairia da minha vida cotidiana? Em lugar dela, o que vejo é (que me perdoem a corujice, mas não estou nem ligando para a correção política nesses assuntos!) uma jovem mulher, linda, saudável, corajosa, inteligente e dona de um adorável senso de humor.

Minha filha e eu sempre fomos diferentes fisicamente. Para ser sincera, isso me incomoda um pouco, pois gostaria que nossa relação mãe-filha parecesse óbvia para qualquer desavisado que nos visse juntas pelas ruas. Mas não é. Desconhecidos sempre nos perguntam o que somos uma da outra - uma chatice imposta pela genética.

Busco então a visão reconfortante dos pés e mãos da minha filha, onde reconheço, feliz da vida, a herança dos traços dos meus antepassados. Imperfeitos e pouco fotogênicos, diga-se de passagem, mas indiscutivelmente nossos. Ufa, aos menos isso...

A semana de férias se foi, minha filha também. Mas ficaram recordações gostosas, coloridas e engraçadas, registradas nas fotos que revejo diariamente já com saudades, ouvindo o convite ao sorriso do pernambucano: Olha o jegue!

5 comentários:

Katia disse...

Para uma declaração de AMOR dessa. Ficar emocionada é pouco.

BLOG DA PATRÍCIA disse...

Adorei o blog!
Suuuuuper simpático e gostoso de ler. Vc escreve muitíssimo bem, sra jornalista, amei!
Bjs
Patrícia

Julia disse...

Oi, Monica!!

Que depoimento emocionante! Fala muito mais do que da semana de férias com a Bebel... Fala do seu vínculo com ela. O seu texto é uma delícia e a gente embarca para Pernambuco com você. Dá até pra ouvir o "olha o jegue!". Aliás, o jegue está ótimo. Seu blog está bem up, parabéns!
Beijos
Sandra Felicidade ;-)

Maria Elizabeth disse...

Monica querida. É como sentir cada palavra sua dentro de nós. É tão bom ler seus depoimentos, tão sinceros, lindos, emocionantes. Beijo grande e até breve espero.Betty

Isabel disse...

Saudades da minha mamãe