terça-feira, 23 de março de 2010

Politicamente incorreta

Meu amigo Mario está com vontade de começar um blog politicamente incorreto, sob o manto protetor de um pseudônimo. Ele quer esbravejar contra todas as safadezas da política nacional e do desgoverno deste país, gritar aos quatro ventos tudo aquilo que as regras da boa educação o impedem de fazer no meio civilizado em que circula. Quando ele fala no assunto, seus olhos brilham da mais pura indignação contida.



Em resumo: meu amigo Mario quer lavar a alma, 
no blog que ele ainda vai criar.

***
Achei graça na conversa e acabei me entusiasmando com a idéia do Mario. Resolvi escrever aqui no meu blog um pouco daquilo que penso mas não tenho coragem de confessar em público. Não é nada tão radical quanto a ira política do meu amigo, apenas um fiapo de reflexão que tem rondado meus pensamentos com frequência.

Eis a questão:

Como podemos descrever o povo brasileiro? 
O que nos caracteriza e diferencia do outros povos, de uma maneira geral? 
O que é que o brasileiro tem na maneira de se apresentar em público, que faz com que a gente consiga se identificar mútua e imediatamente, no meio de qualquer multidão em um país estrangeiro?

Pois aqui vai, sem papas na língua,  minha visão absolutamente superficial e politicamente incorreta do conterrâneo típico. Na minha maneira de ver, noventa por cento dos brasileiros:

  • Tem pele da cor marrom, em algum dos seus muitos matizes 
  • Pertencem a uma igreja evangélica
  • Votam (ou já votaram) no PT
  • Olham sem a menor cerimônia (mas também sem maldade) nos olhos de pessoas estranhas por quem passam na rua
  • Falam alto nos lugares públicos e não se dão conta disso
  • Acham que esporte e futebol são sinônimos

Quem quiser que discorde, não vou me incomodar. Mas qualquer brasileiro que de vez em quando ande de ônibus, trem ou metrô irá concordar comigo.

Pronto, já disse. 

Meu amigo Mario tem toda a razão:
ser politicamente incorreto é bom demais.

Nenhum comentário: